+351 21 727 20 59 pdrgeral@pdr.email

“Somos um partido popular, um partido do povo, que assenta nos núcleos concelhios, recuperando uma das grandes tradições portuguesas, que é o municipalismo, para se transformar os municípios em interlocutores válidos aproximando assim o povo perante o centralismo”, disse Marinho Pinto, líder do PDR, ontem à noite, em Braga.

Marinho Pinto falava no decorrer de um jantar de apoio com cerca de três centenas de apoiantes do Minho, onde respondeu a algumas das perguntas acerca daquilo que preconiza para o país. Revelou que sobre alguns temas, como os impostos e as contribuições para a segurança social, tendo ideias muitos bem definidas, no entanto, em termos de medidas concretas, reservou o anúncio para Junho quando estará pronto o programa de Governo do Partido Democrático Nacional.

“Temos que proteger os sectores mais frágeis da nossa sociedade, como desempregados, idosos e crianças, muitas das quais têm de deixar de andar dezenas de quilómetros todos os dias entre a casa a e escola porque lhes fecharam as escolas mais próximas”, disse ainda o eurodeputado.

“E destaco idosos, que merecem um fim de vida com dignidade, o que é uma obrigação do Estado, pois foi graças aos impostos pagos por eles que nós beneficiamos das escolas e dos hospitais gratuitamente, estando agora muitos deles em depósitos de idosos a que chamam lares de idosos”, destacou Marinho Pinto.

“Temos de conseguir energia mais barata, porque os nossos empresários não poderão de modo algum continuar a pagar a electricidade mais cara da Europa, o que está a asfixiar as empresas e a condicionar a economia”, adiantou em Braga Marinho Pinto, ao mesmo tempo que defendeu “crédito mais barato para as empresas portuguesas que pagam juros dez vezes mais altos do que as alemãs”.

“PS, PSD e PP têm sido maldição”

Marinho Pinto defendeu acabar com o rotativismo entre o PS, PSD e PP, afirmando “chegar dessa maldição para Portugal” e “não queremos mais do mesmo e essa gente enganadora, mas sim uma alternativa que é o nosso partido”. Entre os presentes estava o antigo deputado socialista Eurico Figueiredo e um dos seis fundadores do novo partido.

O presidente do Partido Democrático Republicano enalteceu também que “o símbolo do nosso partido é constituído por três estrelas: da liberdade, da justiça e da solidariedade”. Marinho Pinto defendeu “a existência de um tribunal em cada concelho, mesmo que em alguns deles não exista um juiz e um procurador em todos, mas em que os cidadãos vão ter os tribunais a justiça perto de si”.

Fonte: Jornal SOL